terça-feira, 2 de setembro de 2008

Ginástica laboral




O que é ginástica laboral?



Como o nome indica, ginástica laboral é a realização de exercícios físicos no ambiente de trabalho, durante o horário de expediente, para promover a saúde dos funcionários e evitar lesões de esforços repetitivos e doenças ocupacionais.
Além de exercícios físicos, a ginástica laboral consiste em alongamentos, relaxamento muscular e flexibilidade das articulações. Apesar da prática da ginástica laboral ser coletiva, ela é moldada de acordo com a função exercida pelo trabalhador.

Quais são os benefícios oferecidos pela ginástica laboral?

A ginástica laboral pode reduzir a incidência de doenças ocupacionais e lesões de esforços repetitivos, e desta forma diminuir o número de afastamentos dos empregados na empresa. Além dos benefícios físicos, a prática voluntária da ginástica laboral proporciona ganhos psicológicos, diminuição do estresse e aumento no poder de concentração, motivação e moral dos trabalhadores.
A ginástica laboral também pode trazer benefícios econômicos diretos para as empresas ao diminuir o afastamento e elevar a produtividade dos empregados.

COMO FUNCIONA A GINÁSTICA LABORAL.


A GINÁSTICA LABORAL é praticada com intervalos de cinco a dez minutos diários. O seu objetivo é proporcionar ao colaboradores uma melhor utilização de sua capacidade funcional através de exercícios de alongamento, de prevenção de lesões ocupacionais e dinâmicas de recreação. O programa de atividades deve ser desenvolvido após uma avaliação criteriosa do ambiente de trabalho e de cada colaboradores em particular, respeitando a realidade da empresa e as condições disponíveis.A prática de GINÁSTICA LABORAL combate e previne as L.E.R./D.O.R.T. Ela é uma arma contra o sedentarismo, estresse, depressão e ansiedade. Também melhora a flexibilidade, força, coordenação, ritmo, agilidade e resistência, promovendo uma maior mobilidade e postura. Além disto, reduz a sensação de fadiga no final da jornada, contribuindo para uma melhor qualidade de vida do trabalhador.Outro resultado importante da GINÁSTICA LABORAL é favorecer o relacionamento social e o trabalho em equipe, desenvolvendo a consciência corporal, pois as esferas psicológica e social são beneficiadas.BLITZ DA POSTURA e Massagem Laboral, desenvolvida no próprio local de trabalho. Prevenção e otimização de tempo.A GINÁSTICA LABORAL é responsável pela redução de despesas por afastamento médico, acidentes e lesões, melhorando a imagem da instituição perante os colaboradores e a sociedade, além de aumentar a produtividade e qualidade.Os programas de GINÁSTICA LABORAL são elaborados de acordo com as características e necessidades de cada empresa, destacando-se como fatores determinantes.

TIPOS DE GINÁSTICA LABORA

Existem dois tipos de GINÁSTICA LABORAL: a Preparatória e a Compensatória.A Ginástica Preparatória é realizada antes ou logo nas primeiras horas do início do trabalho. Na maioria das vezes não é possível implantar em todos os setores antes de iniciar a jornada, mas logo no seu início e isso não descaracteriza como preparatória.Ela é constituída de aquecimentos e ou alongamentos específicos para determinadas estruturas exigidas. O objetivo é aumentar a circulação sanguínea, lubrificar e aumentar a viscosidade das articulações e tendões.Geralmente tem duração de 5 a 10 minutos. A Ginástica Compensatória é realizada no meio da jornada de trabalho, como uma pausa ativa para executar exercícios específicos de compensação.Praticada junto às máquinas, mesas do escritório e eventualmente no refeitório ou em espaço livre, utilizando exercícios de descontração muscular e relaxamento, visando diminuir a fadiga e prevenir as enfermidades profissionais crônicas.


CUSTO BENEFÍCIOBENEFÍCIOS PARA O COLABORADOR:

A prática de GINÁSTICA LABORAL combate e previne as L.E.R./D.O.R.T. Ela é uma arma contra o sedentarismo, estresse, depressão e ansiedade. Também melhora a flexibilidade, força, coordenação, ritmo, agilidade e resistência, promovendo uma maior mobilidade e postura. Além disto, reduz a sensação de fadiga no final da jornada, contribuindo para uma melhor qualidade de vida do trabalhador. Outro resultado importante da GINÁSTICA LABORAL é favorecer o relacionamento social e o trabalho em equipe, desenvolvendo a consciência corporal, pois as esferas psicológica e social são beneficiadas.

BENEFÍCIOS PARA EMPRESA:

A GINÁSTICA LABORAL é responsável pela redução de despesas por afastamento médico, acidentes e lesões, melhorando a imagem da instituição perante os colaboradoes e a sociedade, além de aumentar a produtividade e qualidade.



O que é L.E.R/D.O.R.T?

LER / DORT — Lesões por Esforços Repetitivos / Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho — abrangem diversas patologias, sendo as mais conhecidas a tenossinovite, a tendinite e a bursite, entre outras que atingem milhares de trabalhadores.
Há muitas definições. Porém o conceito básico é de que se tratam de alterações e sintomas de diversos níveis de intensidade nas estruturas osteomusculares (tendões, sinovias, articulações, nervos, músculos), além de alteração do sistema modulador da dor. Esse quadro clínico é decorrente do excesso de uso do sistema osteomuscular no trabalho.

Fatores de Risco :

O grupo de trabalhadores em risco de desenvolver lesões são aqueles que estão expostos a fatores de riscos, como: - Movimentos repetitivos;- Esforço e força;- Postura inadequada;
- Falta de flexibilidade;- Trabalho muscular estático;- Choques e impactos;- Falta de tempo para as estruturas se recuperarem;- Estresse emocional.
Apenas um fator isolado não é determinante para a ocorrência de DORT, mas sim uma combinação deles associados à sua freqüência, intensidade e duração.


Os principais fatores determinantes da L.E.R/D.o.r.t - são:

1 - Postura: Posturas fixas são um fator de risco principalmente em trabalhos sedentários. No entanto em trabalhos mais dinâmicos, com posturas extremas de tronco como por exemplo abaixar-se e virar-se de lado também foram identificados como fatores de risco.As más posturas de extremidades superiores também se constituem como fatores de risco, tais como: desvios dos punhos, braços torcionados e elevação do ombro.Todos esses desvios são influenciados por uma série de fatores ocupacionais e individuais, incluindo característica do posto de trabalho, Ex: altura da mesa, da cadeira, formato da cadeira e seu encosto, etc.

2 - Movimento e força:Estes dois fatores estão correlacionados ao aparecimento da Dort - nas mãos e punhos. A combinação de forças elevadas e alta repetitividade aumentam a magnitude da lesão mais do que qualquer uma delas isoladamente.Movimentos repetidos podem danificar diretamente os tendões através do freqüente alongamento e flexão dos músculos.A força exercida durante a realização dos movimentos é outro determinante das lesões, como por exemplo, no levantamento, carregamento e utilização de ferramentas pesadas; a força necessária para cortar objetos muito duros, a utilização de parafusadoras e furadeiras.

3 - Conteúdo de trabalho e fatores psicolóógicos:A relação entre trabalho e a saúde é afetada pela organização do trabalho e fatores psicológicos relacionados ao trabalho, podendo contribuir para o aparecimento de disfunções músculo-esqueléticas. Passou-se a estabelecer a relação entre trabalho, stress e o sistema músculo-esquelético.

4 - Características individuais:O tipo de musculatura e características individuais parecem manter uma relação com a incidência dos problemas. Nesse sentido, as mulheres parecem ser mais suscetíveis que os homens. A distribuição de tarefas por sexo e consequentemente na carga do trabalho determinam o aparecimento de problemas e estão ligados as características individuais.

Patologias encontradas com mais frequência nos mecanismos por esforços repetitivos:
Síndrome do túnel do carpo:
O que é túnel do carpo?

É o canal formado anatomicamente pelos ossos localizados na região do carpo (punho) e por um ligamento forte na região do carpo.As paredes laterais e o assoalho são constituidas pelos ossos do carpo e o teto pelo lig. transverso do carpo. O túnel do carpo contém tendões que flexionam os dedos e o polegar e o nervo mediano que proporciona sensibilidade ao polegar, indicador e metade radial do anular.
Quais são as causas?

É causada por uma compressão do nervo mediano no canal do carpo e pode ser causada por vários problemas. Um aumento do volume do conteúdo do canal do carpo ou uma diminuição no continente criam situações de compressão do nervo mediano contra o ligamento transverso do carpo.
Algumas causas de compressão do nervo mediano no canal do carpo:
Inflamação ou edema nos tendões e bainhas tendinosas no canal do carpo ,
Retenção de líquido,
Lesões por esmagamento
Edema na mão e antebraço
Alargamento do nervo mediano
Condições sistêmicas (gravidez, anticoncepcional)
Fraturas e luxação ao nível do punho
Artrite reumatóide
alargamento do nervo mediano

Sinais e sintomas:

Manifestações mais comuns são: Formigamento, adormecimento e queimação do polegar, dedo indicador, médio e metade do anular. Ocorrem mais comumente à noite e nas primeiras horas da manhã. A dor pode irradiar para cotovelo, ombro e região cervical.A diminuição da sensibilidade da mão pode causar fraqueza e perda da capacidade funcional da mão. Os pacientes geralmente referem que deixam cair objetos e que não conseguem sentir suas temperaturas, a mão pode ficar fria e seca.Pode haver atrofia da região tenar, e quando comparado uma mão com a outra há um achatamento desta região.

Condições mais propensas a desenvolver a doença:

A síndrome do túnel do carpo pode estar relacionada com a idade, o sexo, a ocupação, a fatores hereditários e a condições médicas. Trabalhos que requerem o uso da palma da mão com pressões e esforços repetidos ao nível do punho podem aumentar a possibilidade de desenvolvimento de uma síndrome do túnel do carpo.

Síndrome do túnel cubital

O que é túnel cubital?

É um canal localizado ao nível do cotovelo por onde passa o nervo ulnar, cujos limites são: epicôndilo medial anteriormente, lig. ulno-umeral lateralmente e póstero-medialmente as duas cabeças do flexor ulnar do carpo. O teto do túnel é formado por uma banda fibrosa que se estende do olécrano ao epicôndilo medial.Quais as causas?Algumas doenças podem predispor esta neuropatia compressiva, são: diabetes, insuficiência renal, desnutrição, alcoolismo crônico, hemofilia, lepra, mieloma múltiplo, acromegalia e outras.Podem ser também por condições patológicas, traumáticas ou anatômicas.Quadro clínico:Paciente refere dor no cotovelo, parestesias, hipoestesia no território do N. Ulnar e paresia dos músculos inervados pelo N. Ulnar.

Síndrome do canal de Guyon:

É a compressão do nervo ulnar ao nível do punho no canal descrito por Guyon. Limites:
- medial: psiforme e origem tendinosa do abdutor do dedo mínimo;- lateral: hâmulo do hamato e expanssão da fáscia do palmar longo;- teto: ligamento carpal volar (pisoo-hamático);- assoalho: pelos ossos do carpo.
Etiologia: Uma das causas mais comuns é a compressão do N. Ulnar no canal de Guyon por um cisto sinovial. Outras causas são alterações da artéria ulnar que passa junto ao n. Ulnar e fraturas dos ossos do carpo.
Quadro clínico:Dor ao nível do bordo medial do punho e alterações de sensibilidade no dedo mínimo e metade medial do dedo anular. Pode haver paresia progressiva dos músculos intrínsecos da mão inervados pelo nervo ulnar.

Tenosinovite estenosante DeQuervain:

Anatomia:Na região dorsal do punho estão os tendões estensores dos dedos, polegar e do punho. Estes tendões passam por 6 túneis que formam o retináculo dos estensores ou ligamento carpal dorsal.O primeiro compartimento dorsal é o mais lateral de todos e nele passam os tendões abdutor longo do polegar e extensor curto do polegar. Estes tendões têm função de afastar o polegar da mão e movimentar o punho.

O que é tenosinovite DeQuervain?

A moléstia de DeQuervain é um processo inflamatório agudo dos tendões do 1°compartimento dorsal do punho. O tecido sinovial que envolve o 1° compartimento dorsal sofre um processo de espessamento e edema diminuindo o continente deste túnel. Os tendões podem inchar ao redor desta constrição e so0frer aderências.
O que causa a tenosinovite DeQuervain?

Essa inflamação pode ocorrer por qualquer condição que cause alteração anatômica do primeiro compartimento ou edema e espessamento dos tendões e bainhas. Traumas repetidos, esforços repetidos, reumatismo pode precipitar a doença, mas em muitos casos não há uma causa bem definida.
Quem desenvolve a doença?Ocorre mais freqüentemente entre os 30 e 50 anos, as mulheres são mais acometidas numa razão de 8/1. As pessoas que desenvolvem tarefas com movimentos repetidos de lateralização do punho com preensão utilizando o polegar são mais predispostas a desenvolver esta patologia.


Sinais e sintomas:
O sintoma principal é dor na base do polegar. Pode haver irradiação da dor para o polegar e antebraço. A dor normalmente piora com o esforço físico da mão. Pode haver e crepitação na região lateral do punho.Como é feito o diagnóstico?O diagnóstico é feito através da dor no lado radial do punho associado a certo grau de edema. O sinal de Finkelstein é positivo: neste teste a manobra de desvio ulnar do punho com mão fechada é extremamente dolorosa nos pacientes portadores da doença.


Prevenção da Dort :

Modificação do mobiliário:

Conforto é essencial para a prevenção. Os postos de trabalho devem ser feitoss para acomodar o trabalhador no seu ambiente para que ele tenha uma movimentação eficiente e segura. As operações mais freqüentes devem esttar ao alcance das mãos. As máquinas devem se posicionar de forrma que o trabalhador não tenha que se curvar ou torcer o tronco para pegar ou utilizar ferramentas com frequência. A mesa deve ser planejada de acordo coom a altura de cada pessoa e ter espaço para as movimentações das pernas.- As cadeiras devem ter altura para que haja apoio dos pés, formato anatômico para o quadril e encosto ajustável ao trabalhador.

Planejamento dos métodos de trabalho:


As pessoas devem aprender a identificar os sinais do próprio corpo, o que permite perceber o início de qualquer desconforto. O importante é não deixar que as dores pequenas evoluam.


Pausas - As pausas nos trabalho devem permitir principalmente um alívio para os músculos mais ativos. Diferente da pausa para a recuperação do esforço físico pesado. Obs: ainda não existe um esquema que estipule o tempo de pausa para evitar a tensão do trabalho muscular localizado, mas o ideal é após 50 min. 1 hora de trabalho como por exemplo em frente ao computador fazer uma pausa de 5 a 10 min. por hora..Durante a pausa, pode-se levantar, caminhar um pouco e se possível fazer um exercício de alongamento.
Exemplo: Entrelaçar os dedos das mãos, virando as palmas das mãos para frente e esticando os braços para frente e para cima. Ajuda a relaxar o braço. No Aikido (arte japonesa) possui vários tipos de exercícios é alongamentos que ajudam no quadro.


Fortalecimento muscular: Em casa para fortalecer os dedos da mãos, punhos e antebraços é apertar uma bola de tênis ou de borracha repetidas vezes. Aperta com dois dedos um é sempre o polegar, vai variando os dedos (um de cada vez).


Massagem:


Pode ser feita domiciliarmente e pelo próprio paciente. O método não é eficaz se não for realizado conjuntamente a cinesioterapia e alongamento de estruturas contraturadas e tensionadas. A massagem a ser utilizada pode ser a massagem clássica. O efeito da massagem proporciona um relaxamento muscular. Os portadores de Dort podem ter também aumento da tensão muscular nas regiões cervical, escapular e dorsal.










Exemplos de Exercícios
1. Inclinar o pescoço lentamente para o lado esquerdo (como se fosse querer encostar a orelha no ombro). Repetir o movimento para o lado direito.
2. Esticar os braços em frente ao peito com os dedos das mãos entrelaçados e elevar os braços para cima da cabeça (como se estivesse espreguiçando).
3. Esticar os braços para atrás com os dedos das mãos entrelaçados. Forçar os braços para cima.
4. Colocar a palma da mão do braço esquerdo sobre o cotovelo do braço direito, empurrando-o para baixo, por trás do pescoço. Repetir o movimento, invertendo as posições dos braços.
5. Esticar os dois braços para trás, deixando-os retos e empurrando o corpo para a frente.
6. Segurar o pulso e inclinar o corpo para o lado esquerdo lentamente. Repetir o movimento para o lado direito.
7. Apoiar os braços e cotovelos em uma superfície de apoio fixa (parede) e com uma das pernas encostada nesta superfície, empurrar como se quisesse movimentá-la. Repetir o movimento, invertendo as posições das pernas.
8. Afastar as pernas uma da outra, com os braços esticados e sem flexionar as pernas, inclinar o corpo para frente tentando encostar as palmas das mãos no chão.

Um comentário:

Jogos disse...

Olá

Parabéns pelo Blog, pelo que vejo o estudo sobre Ginástica Laboral trouxe maior conhecimento a respeito do assunto, espero que este conhecimento possa ser usado ao longo da vida por vocês.
Faltou a síntese sobre Histórico da Ginástica Laboral e a conclusão por cada pessoa do grupo!
Um grande abraço!

Prof. Wagner Luiz